Seu negócio precisa de um app?

Em 2015, o número de pessoas que tinham celular no Brasil era de 76,1 milhões. Esse número cresceu 48% no ano de 2016 e, no mesmo ano, 116 milhões de brasileiros usaram um smartphone para acessar a internet. Os dados que são da pesquisa do IBGE também mostram que 77,1% da população com 10 anos ou mais tinham aparelho celular naquele ano. Se os números já eram surpreendentes em 2016, imagine hoje? Se atualmente temos uma população, na qual nem todos cresceram com internet, conectada, imagine você quando aqueles que já nasceram com um celular nas mãos chegarem à maior idade e tiverem maior poder de compra e decisão? Com esses dados, talvez a pergunta não seja “meu negócio precisa de um app?”, mas “que tipo de app o meu negócio precisa?”.

yura-fresh-760055-unsplashPartir de um princípio correto e escolher a melhor abordagem são ações extremamente necessárias na criação de aplicativos. Para isso, é preciso considerar o comportamento do seu público, controlar o orçamento e escolher uma tecnologia que não se torne ultrapassada me curto prazo. Durante todo o processo é preciso ter ao seu lado especialistas e empresas responsáveis que possam te guiar no caminho correto, pessoas que saibam que todo tipo de tecnologia tem pontos fortes e fracos, mas sempre existe aquela que se adéqua melhor a cada caso específico. Tentaremos mostrar aqui os dois lados da moeda de algumas tecnologias que podem cair como uma luva para a sua empresa. Vamos lá:

1. Apps nativos (Android e iOS)

São aqueles desenvolvidos para uma plataforma específica que possui uma linguagem específica. A linguagem Java é utilizada pelo Android e o Swift pelo iOS. Cerca de 99% dos smartphones do mundo utilizam uma dessas duas plataformas. Os apps nativos possuem um ótima integração com os sistemas dos smartphones e são otimizados para a plataforma (lembra do Java e do Swift lá do início!). O processamento de informação e a integração são fluidos e rápidos. Em contrapartida, é preciso contratar um serviço de desenvolvimento para os dois sistemas, já que deixar de existir em um dos mundos é perder mercado. A manutenção a longo prazo, claro, exige suporte de especialistas na área e, claro, gera gastos. Fora isso, os apps nativos são publicados nas lojas do Google (Play Store) e da Apple (App Store) e estão sujeitos a regras e processos das duas gigantes da tecnologia. Apps nativos são ideais quando são desenvolvidos para a experiência do usuário e exigência de processamento pesado de dados.

2. Página mobile responsiva

Responsiva é aquela página que se adéqua ao tamanho da tela do usuário, simples assim. Este é o tipo de solução mais rápida e prática para lançar uma versão para smartphone. Além disso, tem custo de manutenção ao de um app mobile nativo. Porém, o processamento será feito por um servidor da Web e não pelo smartphone….ou seja, o desempenho será mais lento do que em um app. Além disso, diferentemente de um app, não é possível para uma página responsiva acessar gadgets como a câmera do smartphone. Perfeita para quem não tem muita grana para investir em tecnologia, mas sabe da importância e para negócios que têm interação simples com os usuários.

3. Plataforma híbrida

Aplicativos móveis multiplataforma podem ser desenvolvidos, ao mesmo tempo, tanto para o sistema iOS quanto para Android. Neste caso, desempenho e experiência oferecidos por um app casam perfeitamente com a acessibilidade de uma página responsiva. Ela cria apenas uma base de código, eliminando a complexidade que é ter que desenvolver e atualizar dois apps em linguagens diferentes. Por isso, os custos de manutenção e desenvolvimento são menores. Ele possui, basicamente, as mesmas funcionalidades de um app nativo e é possível também acessar todos os recursos do dispositivo móvel como a câmera. Como os apps móveis lidam com interfaces complexas, muitas linhas de códigos serão específicas, querendo ou não, para a plataforma Android ou iOS. Isso significa que, em algum ponto, funcionalidades podem ser perdidas ou diferentes nesses dois modelos. A plataforma híbrida apresenta um equilíbrio bom entre o desenvolvimento de um app ativo e responsivo em relação à experiência do usuário, coprocessamento e investimentos. São perfeitos para empresas que precisam de aplicativos que forneçam uma boa experiência de usuário e simplifique as coisas; empresas que precisam de integração com sistemas empresariais ou usados para B2B.

Qual a melhor opção para minha empresa?

Se mesmo depois de ler este post você ficou com dúvidas, pode entrar em contato com a gente porque podemos te ajudar a descobrir qual o melhor caminho a ser seguido pela sua empresa e qual dessas opções pode entregar um melhor resultado e experiência para o seu cliente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: